Tendências

Thighlighting: Conheça a nova tendência nos Estados Unidos que une vários procedimentos estéticos

Conhecida como cirurgia do vestido curto, a técnica pode combinar lipoaspiração, lifting, bioestimuladores e até implantes de panturrilha, visando ''melhorar'' aparência global das pernas e a harmonia dessa estrutura com o restante do corpo.

Thighlighting: Conheça a nova tendência nos Estados Unidos que une vários procedimentos estéticos
Thighlighting: Conheça a nova tendência nos Estados Unidos que une vários procedimentos estéticos

A cada temporada os tratamentos estéticos se renovam, trazendo novas opções para as clientes mais exigentes e poderosas. A novidade do ramo - e que já é febre nos Estados Unidos - é a thighlighting.

Você sabe o que é thighlighting? Conheça a nova tendência nos Estados Unidos

Conhecida como ‘cirurgia do vestido curto com fenda’, ela usa uma técnica que pode combinar lipoaspiração, lifting, bioestimuladores e até implantes de panturrilha, visando transformar a aparência das pernas e aumentar a auto estima e bem estar das mulheres.

O thighlighting consiste na associação de uma série de procedimentos para melhorar a aparência das pernas e torná-las mais harmônicas com o corpo, podendo incluir, por exemplo, lipoaspiração, bioestimuladores de colágeno, implante de panturrilha e lifting.

A combinação de procedimentos escolhidos para compor o thighlighting vai variar caso a caso, dependendo das características da paciente e das alterações que precisam ser tratadas. Por exemplo, a aplicação de bioestimuladores de colágeno pode ser utilizada em casos em que a paciente apresenta celulite.

Através do estímulo de colágeno proporcionado pelas injeções com bioestimuladores, ocorre uma reorganização dos septos fibrosos responsáveis por sustentarem o tecido adiposo, o que promove a melhora da celulite e do aspecto de casca de laranja da pele.

Já para melhorar o contorno da coxa, a lipoaspiração pode ser recomendada. Ideal para remover a gordura localizada da região, a lipoaspiração consiste na inserção de uma cânula na coxa que é movida para frente e para trás para quebrar os depósitos de gordura e removê-los por meio de sucção.

Em alguns casos, como quando a retirada da gordura tem altas chances de resultar em flacidez, pode-se realizar também a lipoaspiração a laser, que é feita com o auxílio de uma fibra que aquece a gordura e a pele antes da realização da aspiração tradicional. Esse aquecimento provoca uma retração na pele, o que diminui a flacidez do tecido.

Por sua vez, quem já sofre com flacidez das pernas pode optar por incluir no thighlighting uma cirurgia de lifting. Realizado sob efeito de anestesia geral, o lifting consiste em incisões na região da virilha ou na parte inferior dos glúteos a partir das quais o cirurgião remove o excesso de pele e estica o tecido que sobrou, remodelando as coxas e devolvendo firmeza e harmonia para as pernas.

Por fim, o implante de silicone nas panturrilhas é ideal para quem quer ganhar volume na região ou sofre com algum tipo de atrofia muscular.

Semelhantes àquelas usadas na mamoplastia de aumento, as próteses de silicone implantadas nas panturrilhas tendem a ser um pouco menos volumosas e mais rígidas e lisas, sendo colocadas a partir de uma incisão realizada na parte de trás do joelho e apresentando resultados imediatos.

Dessa forma, se bem indicado, o thighlighting é capaz de melhorar a proporção, tamanho, forma e contorno das pernas, tornando-as mais elegantes e harmônicas com seu corpo. Com relação ao preço, tempo de duração, resultados e downtime da cirurgia, tudo vai depender de quais procedimentos serão associados.

Geralmente, quando procedimentos cirúrgicos são combinados, como no caso do thighlighting, exige-se um cuidado maior no pós-operatório pelo trauma ser maior.

Você sabe o que é thighlighting? Conheça a nova tendência nos Estados Unidos

Dessa forma, é fundamental que o paciente adote uma alimentação balanceada e hidrate-se bem no pós-operatório, além de respeitar o tempo de recuperação, evitando fazer esforços durante esse período, principalmente se envolver atividades que possam prejudicar o processo de cicatrização.

Fabiana Tavares

Jornalista especializado em shows e vida saudável. Fã de música e livros.+ info

Notícias relacionadas

MAIS NOTÍCIAS

MAIS NOTÍCIAS