Bisturi

Máscara evidencia “orelhas de abano” e aumenta procura por otoplastia

Cirurgião plástico explica as particularidades do procedimento, que é relativamente simples e de recuperação rápida

Máscara evidencia “orelhas de abano” e aumenta procura por otoplastia
Máscara evidencia “orelhas de abano” e aumenta procura por otoplastia

Uma das mais importantes ferramentas no combate à Covid-19, a máscara passou a fazer parte do cotidiano como utensílio obrigatório na hora de sair de casa. Mas algumas particularidades do uso do item já começaram a aparecer. 

É provável que você tenha ouvido alguém reclamar da pressão que elas causam nas orelhas, evidenciando a popularmente chamada “orelha de abano”.O acessório de proteção também destaca o defeito congênito que muitas pessoas já possuem e, com isso, a busca por otoplastia tem crescido no Brasil.

O procedimento é simples e estima-se que a característica esteja presente em 2% a 5% da população mundial, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

“A otoplastia consiste na retirada de pele da parte posterior da orelha e criarmos uma remodelagem da cartilagem auricular. Ela deve ser realizada em hospital ou clínica, com toda a segurança”, explica o cirurgião Luiz Haroldo Pereira, membro da SBCP.

Além das orelhas de abano, a cirurgia também pode ser feita para tratar a macrotia, uma deformidade congênita rara, que torna as orelhas muito grandes.

Em alguns pacientes, a otoplastia pode ser usada para remover o excesso de pele dos lóbulos; em outros, para extrair queloides ou remover nódulos benignos.

De acordo com especialistas, as chances da característica voltar após o procedimento são pequenas. Para os pacientes se prevenirem, é importante se atentar às orientações médicas.

Nina Marinho

Terapeuta Holística, Aromaterapeuta e Redatora do Muii Brasil e Xouu Brasil. Estudante e mãe no restante do tempo.+ info

Notícias relacionadas

MAIS NOTÍCIAS

MAIS NOTÍCIAS