Bisturi

Conheça as cirurgias plásticas mais feitas no Brasil

Segundo estudo publicado pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica e Estética (ISAPS), o número de cirurgias plásticas realizadas no Brasil cresce cada vez mais. Houve um aumento de 5% no total de procedimentos cirúrgicos nos últimos dois anos. 

Conheça as cirurgias plásticas mais feitas no Brasil
Conheça as cirurgias plásticas mais feitas no Brasil

Com estes números, o Brasil figura no segundo lugar do ranking mundial de cirurgias plásticas, atrás apenas dos Estados Unidos. O cirurgião plástico Dr. Paolo Rubez, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e especialista em Cirurgia de Enxaqueca pela Case Western University, explicou quais são e como funcionam as cirurgias plásticas mais feitas pelos brasileiros. Confira:

cirurgia plástica

Rinoplastia
É a cirurgia plástica que visa modificar a forma do nariz, sendo possível aumentá-lo, reduzi-lo ou alterar seu formato para deixá-lo mais harmônico com relação à face.

“Neste procedimento, o médico remodela o nariz do paciente com instrumentos delicados, removendo ou acrescentando cartilagens ou tecidos para obter a aparência desejada”, explica o médico. A cirurgia também pode ser associada a procedimentos como a correção do desvio do septo para melhorar alterações funcionais e a respiração do paciente.

Cirurgias plásticas mais feitas pelos brasileiros: Mamoplastia 
É qualquer cirurgia plástica que modifica o formato e aparência dos seios, seja para aumentá-los, diminui-los ou levantá-los. Sendo assim, os métodos utilizados durante a cirurgia variam dependendo do resultado final pretendido.

mamoplastia

De acordo com o Dr. Paolo, a cirurgia de mamoplastia figura entre os procedimentos mais comuns no Brasil. É indicada tanto para pessoas que querem mamas mais proporcionais e harmônicas, quanto para aquelas que sofrem, por exemplo, com problemas na coluna causados pelo peso de seios desproporcionalmente grandes.

Lipoaspiração
Tem como intuito remover o excesso de tecido adiposo, ou seja, a gordura localizada, visando melhorar o contorno corporal. Pode ser realizado em diversas partes do corpo, sendo mais comum no abdômen, flancos, pernas e braços.

O procedimento é ideal para as pessoas que têm excesso de gordura localizada e pouca flacidez de pele em áreas específicas do corpo. Este procedimento é realizado através de um instrumento chamado de cânula, que é ligada a um aparelho de sucção para que ocorra a aspiração da gordura.

Cirurgias plásticas mais feitas pelos brasileiros: Abdominoplastia 
Procedimento que objetiva a retirada do excesso de gordura e pele que fica localizada na região abaixo do umbigo. Sua realização geralmente é motivada por fatores como múltiplas gestações ou grande perda de peso.

“A cirurgia é feita a partir de um corte em forma de semicírculo logo acima dos pelos púbicos de tamanho suficiente para permitir a retirada da pele e gordura excedentes. Em seguida, é realizada a sutura da musculatura na linha central, e, por fim, a retirada de excessos dos tecidos”, destaca o especialista.

ritidoplastia

Ritidoplastia
Conhecida popularmente como lifting facial, é realizada para reverter o envelhecimento da face. Visa amenizar sinais da idade, como rugas, sulcos faciais e flacidez, o que confere um aspeto mais jovem e descansado ao rosto.

“Podendo englobar tanto o rosto inteiro quanto uma área especifica que gere maior desconforto para o paciente, a ritidoplastia é feita por meio de cortes que permitem que o profissional tracione a pele, remodelando e reposicionando os tecidos. A incisão pode ser feita em partes diversas do rosto como na orelha, no couro cabeludo, na região temporal ou abaixo do queixo”, completa o Dr. Paolo.

Cirurgia de enxaqueca
Visa diminuir a dor de cabeça intensa sofrida por grande parte da população, sendo então um procedimento que vem crescendo cada vez mais no Brasil.

“Podendo ser realizada para tratar enxaquecas de diversas causas, visto que existem sete tipos da cirurgia para atuar em diferentes áreas onde as dores da enxaqueca surgem, o procedimento tem como objetivo descomprimir e liberar os ramos dos nervos que, ao serem comprimidos por estruturas próximas, promovem as crises de enxaqueca”, finaliza o Dr. Paolo Rubez.

Josiane Gonçalves

Jornalista, filósofa e entusiasta da alimentação saudável. Ama animais e viagens pelo mundo.+ info

Notícias relacionadas

MAIS NOTÍCIAS

MAIS NOTÍCIAS